LEIA A BÍBLIA

ORATÓRIO

ORATÓRIO
Acenda uma vela

SIGA-NOS

twitter

MARCADORES

RIODEJANEIRO SANTOS NOTÍCIAS VATICANO ARTIGOS LONDRINA VICENTINOS FAMÍLIA JMJ MEMÓRIA BEATIFICAÇÃO HOMILIAS ECUMENISMO Formação POLÍTICA SAÚDE MÚSICOS CNBB ECONOMIA Pe.REGINALDO CINEMA CAMPANHAS EUA ESPIRITUALIDADE MINASGERAIS PASTORAIS SÃOPAULO ABORTO CANÇÃONOVA LIVROS ORAÇÕES CURITIBA JUVENTUDE MARINGÁ MISSÕES POLÍCIA PORTUGAL EXORCISMO COMUNICAÇÃO MULHER Testemunho Entrevista INTERNACIONAL JUNDIAÍ VOCAÇÕES MUDABRASIL FUTEBOL MENSAGENS Pe.ZEZINHO UNIVERSITÁRIOS DireitosHumanos EUCARISTIA APOLOGÉTICA DENÚNCIA TEOLOGIA HUMOR INTERNET MILAGRES BÍBLIA ECOLOGIA CANONIZAÇÃO CASAMENTOS NAMORO APARECIDA EDUCAÇÃO MOVIMENTOS PASTCRIANÇA ANCHIETA CIMI CIÊNCIA CORRUPÇÃO ESPORTE POESIAS Rio+20 SALVADOR SANTAMARIA TURISMO VATICANOII APOSENTADOS CRIANÇAS EVANGELIZAÇÃO FINADOS INFANTIL IRMÃDULCE PALOTINOS ADVOCACIA AGRICULTURA CARNAVAL PORTOALEGRE PSICOLOGIA TEATRO AMAZONAS BENFEITORES BRASÍLIA COMEMORAÇÕES CRÔNICAS DEMOCRACIA DIREITOS DOCUMENTÁRIO FOCOLARES FORTALEZA MEIOAMBIENTE MUTICOM PARANAGUÁ POBREZA PUBLICIDADE QUARESMA SEXUALIDADE XAVERIANOS ÁFRICA ÁGUAS ANÔNIMOS APUCARANA CAMPINAS COMUNICADOS CONFISSÃO CristoRedentor CÁRITAS DEFICIENTES DEPRESSÃO FLORIANÓPOLIS FOTODIGITAL INGLATERRA OpusDei PARAGUAI SANTOANTÔNIO SANTUÁRIOS TERRORISMO ANIVERSÁRIO APARIÇÕES ARGENTINA CEBs CIDADANIA CLARETIANOS IDOSOS ISLAMISMO JERUSALÉM JOÃOPAULOII JUSTIÇA LITERATURA MANAUS PARANÁ PARÓQUIAS PAULINAS PENSAMENTOS REDEVIDA RESSURREIÇÃO SOLIDARIEDADE UMUARAMA UNIDADE  NOTÍCIAS ADOÇÃO ATEÍSMO AUTOESTIMA BAIXOCLERO CANTORES CATEQUESE COOPERATIVISMO CORPUSCHRISTI CÉLULAS DOCUMENTOS DOUTRINASOCIAL ESCÂNDALO ESTATÍSTICA FILOSOFIA GASTRONOMIA GotasBíblicas MARISTAS MEDITAÇÃO MESTERS MIGRANTES MOTIVAÇÃO MÉXICO NSGUADALUPE PECADO PEDOFILIA PadreChrystian RELIGIOSOS RENOVAÇÃO SUDÁRIO SãoFreiGalvão TABAGISMO TERRASANTA VIOLÊNCIA BEATIFICAÇÃO ACONSELHAMENTO ADORAÇÃO ANTICRISTO APAEs APOSTAS APOSTASIA ARMÊNIA AUTOCURA AVAAZ BATIZADOS BEAGÁ BIOGRAFIAS CHILE CHINA CIRCO COLÔMBIA CONSAGRAÇÃO CONVERSÃO CÍRCULOS DEBATE DEMOGRAFIA EMPRESAS ESPANHA EUROPA EVANGELISMO Especial FOZDOIGUAÇU FREIBETTO FREIDAMIÃO FRUTAS FÁTIMA GOIÂNIA GREVE GruposBíblicos HOMENAGENS IDEIAS IMPEACHMENT JESUITAS JOINVILLE LITURGIA LOURDES MARANHÃO MATOGROSSO MISERICÓRDIA MSM NÔMADES OAnônimo ONGs P.CARCERÁRIA PADROEIRA PATERNIDADE PAULOFREIRE PERFIL PERNAMBUCO PETRÓPOLIS PHN PIAUÍ POLIGAMIA PORNOGRAFIA PPI PROFISSÕES PROMESSAS PROSPERIDADE Pe.FÁBIOdeMELO Pe.PauloRicardo Prof.MARINS REDEGLOBO RELÍQUIAS RONDÔNIA RUSSIA SACRILÉGIO SANTACATARINA SANTAMISSA SANTAPAULINA SANTOANDRÉ SEGURANÇA SOBRIEDADE SOROCABA SÍNODO Século21 TAUBATÉ TECNOLOGIA TERCEIROSETOR TURQUIA UNESCO VIDANIMAL ZUMBI

Escravidão atual é de 29,8 milhões de pessoas




   
    Roma, Zenit.org/John Flynn - Rodou o mundo a notícia das três mulheres mantidas em cativeiro em um quarto de Londres. O fato chamou a atenção sobre o problema da escravidão e do tráfico de pessoas.

    Em 2012 o Human Trafficking Center britânico, órgão da National Crime Agency, declarou ter identificado 2.225 potenciais vítimas do tráfico humano, com um aumento de 178 indivíduos ( +9%) com relação ao 2011 (BBC, 22 de novembro/2013) . O relatório sublinha que os dois tipos de exploração mais comuns são a exploração sexual (35% das vítimas potenciais), seguido pela exploração laboral (23%) .

    Entre as notícias mais recentes sobre o tema, o Escritório do Alto Comissariado para os Direitos Humanos da ONU anunciou que o Relator Especial das Nações Unidas, Gulnara Shahinian, teria visitado o Gana do 22 ao 29 de novembro, para monitorar a situação no que diz respeito às práticas de escravidão no país.

    Em outubro, a enorme extensão da escravidão foi revelada em um dossiê publicado pela Walk Free Foundation, com sede em Perth (Western Austrália).

    A fundação, que tem 20 membros na equipe, foi instituída no mês de maio do ano passado por Andrew Forrest – presidente do Fortescue Metals Group – e por sua mulher Nicola. Fortescue Metals é uma das vinte mais importantes companhias australianas e o quarto maior fornecedor de ferro no mundo.

A relação inaugural do “Índice Global da Escravidão” afirmou que 29,8 milhões de pessoas em todo o mundo são escravizadas.

    A Índia tem o maior número em absoluto de pessoas na escravidão, com aproximadamente 14 milhões de pessoas, que, como observou o relatório, são quase a metade da totalidade mundial. Não é tanto uma questão de estrangeiros explorados, observa o relatório, mas de muitos indianos vítimas da servidão por dívidas e pelo trabalho forçado.

    Em termos globais a China é o segundo, com 2,9 milhões de escravizados. Os outros países do top 10 são o Paquistão, Nigéria, Etiópia, Rússia, Tailândia, República Democrática do Congo, Mianmar e Bangladesh. O top 10 inclui mais de 22 milhões de escravizados.

    Se olhamos em termos de proporção com a população, a escravidão está no mais alto nível na Mauritânia, onde se estima cerca de 150 mil escravos em uma população de apenas 3,8 milhões de habitantes. Haiti e Paquistão estão respectivamente no segundo e terceiro lugar neste ranking.

    A escravidão moderna, explica o relatório, não é bem compreendida e é também escondida, com criminosos que usam uma grande variedade de meios para permiti-la e racionalizá-la.

    Embora a maioria das formas de escravidão sejam ilegais, o relatório assinala que as leis raramente são reforçadas. O relatório dos EUA sobre tráfico de pessoas do 2013 afirma que 46.570 vítimas do tráfico de seres humanos foram oficialmente identificadas em 2012. Houve, no entanto, somente 7.705 processos penais e 4.750 condenações registradas globalmente.

    A prevalência da escravidão está ligada a outros fatores, de acordo com o relatório. Por exemplo, há uma alta correlação entre a escravidão e a corrupção. Níveis mais baixos de desenvolvimento humano e bem-estar econômico são outros tópicos relacionados.

    Há algum tempo o Vaticano está comprometido com a questão da escravidão e do tráfico humano. O exemplo mais recente foi quando, no início de novembro, a Pontifícia Academia das Ciências Sociais, em colaboração com a Federação Mundial das Associações Médicas Católicas, realizou aquilo que foi chamado de "worskshop preparatório" sobre o assunto.

    "Toda relação que omite respeitar a fundamental convicção que cada pessoa – homem, mulher, menino, menina – é igual às outras e tem a mesma liberdade e dignidade, constitui um grave crime contra a humanidade”, afirma a declaração final do encontro (2 e 3 de novembro/2013).

    Há uma "necessidade urgente" de que se continue, para que se coloque fim ao tráfico de seres humanos.

    "É nossa obrigação moral fazer de nós mesmos a última geração que deverá combater o tráfico de seres humanos”, acrescenta a declaração final.

    O documento conclui com uma série de recomendações do Vaticano, das organizações internacionais, das empresas e dos governos, com relação à prática que deve ser feita.

    O Papa abordou a questão da escravidão na recentíssima Exortação Apostólica Evangelii Gaudium. “Sempre causou-me dor a situação daqueles que são objeto das diferentes formas de tráfico de pessoas. Gostaria que se escutasse o grito de Deus que pede a todos vós: “Onde está o seu irmão?” (Gn 4, 9) (EG 211).

    O Papa, então, se pergunta: "Onde está o teu irmão escravo? Onde está o irmão que estás matando cada dia na pequena fábrica clandestina, na rede da prostituição, nas crianças usadas para a mendicidade, naquele que tem de trabalhar às escondidas porque não foi regularizado?"

    "Não nos façamos de distraídos!”, exorta o Papa Francisco, destacando que “há muita cumplicidade".

    "Nas nossas cidades, está instalado este crime mafioso e aberrante, e muitos têm as mãos cheias de sangue devido a uma cómoda e muda cumplicidade", acrescentou o Papa.

Tradução: Thácio Siqueira

0 comentários:

SUPLEMENTO

Edição 47