LEIA A BÍBLIA

ORATÓRIO

ORATÓRIO
Acenda uma vela

SIGA-NOS

twitter

MARCADORES

RIODEJANEIRO SANTOS NOTÍCIAS VATICANO ARTIGOS LONDRINA VICENTINOS FAMÍLIA JMJ MEMÓRIA BEATIFICAÇÃO HOMILIAS ECUMENISMO Formação POLÍTICA SAÚDE MÚSICOS CNBB ECONOMIA Pe.REGINALDO CINEMA CAMPANHAS EUA ESPIRITUALIDADE MINASGERAIS PASTORAIS SÃOPAULO ABORTO CANÇÃONOVA LIVROS ORAÇÕES CURITIBA JUVENTUDE MARINGÁ MISSÕES POLÍCIA PORTUGAL EXORCISMO COMUNICAÇÃO MULHER Testemunho Entrevista INTERNACIONAL JUNDIAÍ VOCAÇÕES MUDABRASIL FUTEBOL MENSAGENS Pe.ZEZINHO UNIVERSITÁRIOS DireitosHumanos EUCARISTIA APOLOGÉTICA DENÚNCIA TEOLOGIA HUMOR INTERNET MILAGRES BÍBLIA ECOLOGIA CANONIZAÇÃO CASAMENTOS NAMORO APARECIDA EDUCAÇÃO MOVIMENTOS PASTCRIANÇA ANCHIETA CIMI CIÊNCIA CORRUPÇÃO ESPORTE POESIAS Rio+20 SALVADOR SANTAMARIA TURISMO VATICANOII APOSENTADOS CRIANÇAS EVANGELIZAÇÃO FINADOS INFANTIL IRMÃDULCE PALOTINOS ADVOCACIA AGRICULTURA CARNAVAL PORTOALEGRE PSICOLOGIA TEATRO AMAZONAS BENFEITORES BRASÍLIA COMEMORAÇÕES CRÔNICAS DEMOCRACIA DIREITOS DOCUMENTÁRIO FOCOLARES FORTALEZA MEIOAMBIENTE MUTICOM PARANAGUÁ POBREZA PUBLICIDADE QUARESMA SEXUALIDADE XAVERIANOS ÁFRICA ÁGUAS ANÔNIMOS APUCARANA CAMPINAS COMUNICADOS CONFISSÃO CristoRedentor CÁRITAS DEFICIENTES DEPRESSÃO FLORIANÓPOLIS FOTODIGITAL INGLATERRA OpusDei PARAGUAI SANTOANTÔNIO SANTUÁRIOS TERRORISMO ANIVERSÁRIO APARIÇÕES ARGENTINA CEBs CIDADANIA CLARETIANOS IDOSOS ISLAMISMO JERUSALÉM JOÃOPAULOII JUSTIÇA LITERATURA MANAUS PARANÁ PARÓQUIAS PAULINAS PENSAMENTOS REDEVIDA RESSURREIÇÃO SOLIDARIEDADE UMUARAMA UNIDADE  NOTÍCIAS ADOÇÃO ATEÍSMO AUTOESTIMA BAIXOCLERO CANTORES CATEQUESE COOPERATIVISMO CORPUSCHRISTI CÉLULAS DOCUMENTOS DOUTRINASOCIAL ESCÂNDALO ESTATÍSTICA FILOSOFIA GASTRONOMIA GotasBíblicas MARISTAS MEDITAÇÃO MESTERS MIGRANTES MOTIVAÇÃO MÉXICO NSGUADALUPE PECADO PEDOFILIA PadreChrystian RELIGIOSOS RENOVAÇÃO SUDÁRIO SãoFreiGalvão TABAGISMO TERRASANTA VIOLÊNCIA BEATIFICAÇÃO ACONSELHAMENTO ADORAÇÃO ANTICRISTO APAEs APOSTAS APOSTASIA ARMÊNIA AUTOCURA AVAAZ BATIZADOS BEAGÁ BIOGRAFIAS CHILE CHINA CIRCO COLÔMBIA CONSAGRAÇÃO CONVERSÃO CÍRCULOS DEBATE DEMOGRAFIA EMPRESAS ESPANHA EUROPA EVANGELISMO Especial FOZDOIGUAÇU FREIBETTO FREIDAMIÃO FRUTAS FÁTIMA GOIÂNIA GREVE GruposBíblicos HOMENAGENS IDEIAS IMPEACHMENT JESUITAS JOINVILLE LITURGIA LOURDES MARANHÃO MATOGROSSO MISERICÓRDIA MSM NÔMADES OAnônimo ONGs P.CARCERÁRIA PADROEIRA PATERNIDADE PAULOFREIRE PERFIL PERNAMBUCO PETRÓPOLIS PHN PIAUÍ POLIGAMIA PORNOGRAFIA PPI PROFISSÕES PROMESSAS PROSPERIDADE Pe.FÁBIOdeMELO Pe.PauloRicardo Prof.MARINS REDEGLOBO RELÍQUIAS RONDÔNIA RUSSIA SACRILÉGIO SANTACATARINA SANTAMISSA SANTAPAULINA SANTOANDRÉ SEGURANÇA SOBRIEDADE SOROCABA SÍNODO Século21 TAUBATÉ TECNOLOGIA TERCEIROSETOR TURQUIA UNESCO VIDANIMAL ZUMBI

Portador de deficiência se sente desamparado




Morador do litoral paulista luta por transporte de Praia Grande para Santos. Ele também afirma que usar o transporte público é um “martírio” (na foto com sua esposa Rita) 

    Santos, Diário do Litoral/Carlos Ratton - O morador de Praia Grande (SP) Jackson de Paula, que sofre de atrofia muscular espinhal e tem apenas os movimentos faciais, do pescoço e da mão esquerda, acusa a Prefeitura de Praia Grande de incoerência e até discriminação.

    Aprovado em dois vestibulares do curso de Direito em Santos, ele não consegue transporte público adaptado para estudar. No entanto, a administração oferece transporte gratuito para alunos sem deficiência que estudam em outras cidades. As inscrições foram encerradas no último dia 14.


    A história de Jackson de Paula, de 38 anos, foi publicada no Papo de Domingo do Diário do Litoral. O webdesigner postou sua revolta esta semana no Facebook e voltou a conversar com a Reportagem. “A Prefeitura alega que não tem obrigação nenhuma e muito menos recursos para atender a minha necessidade, pois a Constituição só a obriga a atender o ensino fundamental e médio. Alega que a educação superior é de responsabilidade apenas do governo federal. Por que então esta preocupação e benefícios para alunos que podem andar sem qualquer dificuldade? Isto não é muito incoerente?”, afirma.

    No mesmo tempo que fica triste com a falta de incentivo por parte da Administração, Jackson fala com orgulho de suas conquistas: foi selecionado para conseguir a bolsa pelo Prouni (Programa Universidade para Todos); passou em terceiro na Universidade Católica de Santos (UniSantos) e em primeiro na Universidade Santa Cecília (Unisanta). “Está praticamente certo e no dia 30 devo fazer a matrícula. Vou continuar lutando, e de um jeito ou de outro vamos conseguir a vitória”, acredita.

A situação
    Jackson de Paula tem situação semelhante a de cerca de 25 milhões de deficientes físicos brasileiros que têm de enfrentar, todos os dias, a falta de transporte público adaptado a pessoas portadoras de necessidades especiais.

    Ele trabalha em casa e sobrevive de uma renda do INSS (Instituto Nacional de Seguridade Social) em função deficiência. Jackson explica que usar o transporte comum é um martírio. “Meu corpo não aquenta. Quando chego em casa, me dá problema no pescoço e na coluna, porque minha doença é degenerativa. Meus músculos são muito fracos. Não vou aguentar o tranco diário em um ônibus comum, por cinco anos”, disse ao DL.

    Até maio do ano passado, Jackson não tinha a oitava série completa. Entrou na escola de ensino adulto, terminou o ciclo, se preparou para o Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) e obteve 800 pontos na redação, dos mil possíveis. Na média geral, fez 635 pontos. Tudo em seis meses.

Nota da Prefeitura
    A Prefeitura já se posicionou sobre a questão, informando que os gastos do município na área educacional são delimitados legalmente, e devem atender prioritariamente os níveis de ensino da Educação Infantil e Ensino Fundamental, podendo atuar em outros níveis de ensino somente se atendidas plenamente suas obrigações constitucionais.

    Segundo a Administração Municipal, a procura por transporte adaptado em outros níveis de ensino é inédita. “No que tange a projetos nesse sentido, destacamos que desconhecemos já que o Ensino Superior não está compreendido como competência constitucional do Município na área educacional, logo, não é possível realizar investimentos com recursos educacionais para fins diversos do disposto na legislação”.

Carta enviada ao Diário Católico:
    Prezados amigos da imprensa católica, uma boa tarde!
    Muitos de vocês, me conhece apenas como produtor da Heavens Music, dentro da música católica. Mas muitos não imaginam como é a minha luta no dia-a-dia. Desta forma escrevo, como um pequeno desabafo, um pedido de ajuda, por um grande problema que estou passando na minha vida pessoal... para aqueles que por ventura puderem fazer algo, eu agradeceria muito!
 
    Gostaria de encaminhar, e com isso denunciar a falta de interesse da prefeitura e do poder publico em geral, em me ajudar na questão que coloco, (para poder dar continuidade nos meus estudos na UNISANTOS - Universidade Católica de Santos, no curso de Direito) na  mensagem abaixo;

    Meu nome  é Jackson Paula, moro na cidade de Praia Grande, na vila Caiçara, e portador de deficiência. Tenho uma doença neurológica chamada, "Amiotrofia Espinhal Progressivo Tipo 2", uma doença congênita, que afeta a musculatura e leva a pessoa para a cadeira de rodas, como primeira conseqüência. Hoje eu só consigo mexer o pescoço, a face e a mão esquerda.

    Até o início de 2013, eu não tinha concluído meus estudos, me faltava a oitava série completa, e depois de quase 25 anos sem estudar, algo fez renascer o desejo de concluir, e avançar em minha formação! Em um prazo de 5 a 7 meses, terminei a oitava série, fiz o Enem para obter o meu certificado do ensino médio e a pontuação necessária para pleitear uma bolsa integral pelo Prouni... Consegui a bolsa para fazer o curso de Direito na UNISANTOS!

    Mas o meu maior problema é a questão do TRANSPORTE! Eu não tenho condições físicas de encarar o ônibus todo dia. Como falei, tenho essa doença neuromuscular, degenerativa , que deixa meus músculos muito fracos... Preciso de transporte especial, para me levar e trazer diariamente a faculdade..

    Já pedi ajuda ao poder público, mas a prefeitura me nega, dizendo que não tem a obrigação e nem recursos financeiros, pois ela só tem esta imposição para atender o ensino fundamental e médio, colocando que, nível universitário é da conta do governo federal. Mas O pior, são as contradições, achando que somos burros! De uma olhada nestas notícias;

- Universitarios podem ter transporte gratuito em Praia Grande
http://g1.globo.com/sp/santos-regiao/noticia/2014/01/universitarios-podem-ter-transporte-gratuito-em-praia-grande-sp.html .

- Prefeitura oferece 80 bolsas de estudo em faculdade
http://www.praiagrande.sp.gov.br/pgnoticias/noticias/noticia_01.asp?cod=32067&cd_categoria=

    Então, gastar com quem precisa, finaceiramente falando, mas que pode utilizar qualquer meio de transporte, sem restrições, inclusive a opção de ir a pé, ou de bicicleta para qualquer lugar, (coisa que obviamente não posso fazer) a prefeitura pode ajudar, fugindo totalmente do que eles alegam no meu caso; "que eles não tem obrigação nenhuma, e muito menos recursos para atender a minha necessidade, pois a constituição só os obriga a planejar o ensino fundamental e médio, e que educação superior é de responsabilidade apenas do governo federal"

    Por que então esta preocupação e benefícios para alunos que podem andar sem qualquer dificuldade? que estas bolsas? Isto Não é muito incoerente?

    Eu pesquisei a lei que regulamenta isso, (a questão do transporte) e isso é válido para cursos que não tenham similares aqui na cidade. Direito tem, então estaria fora de qualquer maneira, mas eu digo é pela questão que eles falam que não tem obrigação de atender à demanda do ensino universitário... por que então, eles fazem isso? Entende o que eu quero dizer? Complicado demais...  

    Sem contar que, falei inclusive do programa "Ligado" da secretaria estadual de educação junto com a EMTU, que se a prefeitura tiver realmente o mínimo interesse em me ajudar, poderia fazer algum tipo de convênio com eles, já que tanto a secretaria estadual de educação quanto à EMTU, me orientaram a procurar, tentar algo nesse sentido. Eles não me disseram nem sim, nem não, que tudo dependeria de um convênio que poderia ser feito com alguma instituição.. Já é do meu conhecimento que existe uma destas vans, que faz o transporte o de uma pessoa daqui da Praia Grande para a Etec de santos. Enfim... eu não estou entendendo nem um pouco a postura da prefeitura.

    Desta forma eu busco a ajuda na divulgação da situação, que com certeza não sou só eu que passo, mas muitas outras pessoas em condições parecidas também vivem!

    Seria possível obter essa ajuda? É uma questão que dá para "Brigar" com a prefeitura?

    Eu vou lutar sempre , e garanto que não será isso que vai atrapalhar-me, a alcançar o meu objetivo! Estou disposto a ir em todos os meios e instâncias, para conseguir o que preciso !

    Enfim... muito obrigado pela atenção!

JACKSON PAULA
Fone: (13) 3479-3225 / (13) 99656-2132
E-mail: jacksoncpaula@gmail.com

0 comentários:

SUPLEMENTO

Edição 47