LEIA A BÍBLIA

ORATÓRIO

ORATÓRIO
Acenda uma vela

SIGA-NOS

twitter

MARCADORES

RIODEJANEIRO SANTOS NOTÍCIAS VATICANO ARTIGOS LONDRINA VICENTINOS FAMÍLIA JMJ MEMÓRIA BEATIFICAÇÃO HOMILIAS ECUMENISMO Formação POLÍTICA SAÚDE MÚSICOS CNBB ECONOMIA Pe.REGINALDO CINEMA CAMPANHAS EUA ESPIRITUALIDADE MINASGERAIS PASTORAIS SÃOPAULO ABORTO CANÇÃONOVA LIVROS ORAÇÕES CURITIBA JUVENTUDE MARINGÁ MISSÕES POLÍCIA PORTUGAL EXORCISMO COMUNICAÇÃO MULHER Testemunho Entrevista INTERNACIONAL JUNDIAÍ VOCAÇÕES MUDABRASIL FUTEBOL MENSAGENS Pe.ZEZINHO UNIVERSITÁRIOS DireitosHumanos EUCARISTIA APOLOGÉTICA DENÚNCIA TEOLOGIA HUMOR INTERNET MILAGRES BÍBLIA ECOLOGIA CANONIZAÇÃO NAMORO APARECIDA CASAMENTOS CORRUPÇÃO EDUCAÇÃO MOVIMENTOS PASTCRIANÇA ANCHIETA CIMI CIÊNCIA ESPORTE POESIAS Rio+20 SALVADOR SANTAMARIA TURISMO VATICANOII APOSENTADOS CRIANÇAS EVANGELIZAÇÃO FINADOS INFANTIL IRMÃDULCE PALOTINOS ADVOCACIA AGRICULTURA CARNAVAL PORTOALEGRE PSICOLOGIA TEATRO AMAZONAS BENFEITORES BRASÍLIA COMEMORAÇÕES COMUNICADOS CRÔNICAS DEMOCRACIA DIREITOS DOCUMENTÁRIO FOCOLARES FORTALEZA MEIOAMBIENTE MUTICOM PARANAGUÁ POBREZA PUBLICIDADE QUARESMA SEXUALIDADE XAVERIANOS ÁFRICA ÁGUAS ANÔNIMOS APUCARANA CAMPINAS CEBs CONFISSÃO CristoRedentor CÁRITAS DEFICIENTES DEPRESSÃO FLORIANÓPOLIS FOTODIGITAL INGLATERRA OpusDei PARAGUAI SANTOANTÔNIO SANTUÁRIOS TERRORISMO ANIVERSÁRIO APARIÇÕES ARGENTINA CIDADANIA CLARETIANOS IDOSOS ISLAMISMO JERUSALÉM JOÃOPAULOII JUSTIÇA LITERATURA MANAUS PARANÁ PARÓQUIAS PAULINAS PENSAMENTOS REDEVIDA RESSURREIÇÃO SOLIDARIEDADE UMUARAMA UNIDADE  NOTÍCIAS ADOÇÃO ATEÍSMO AUTOESTIMA BAIXOCLERO CANTORES CATEQUESE COOPERATIVISMO CORPUSCHRISTI CÉLULAS DOCUMENTOS DOUTRINASOCIAL ESCÂNDALO ESTATÍSTICA FILOSOFIA GASTRONOMIA GotasBíblicas HOMENAGENS MARISTAS MEDITAÇÃO MESTERS MIGRANTES MOTIVAÇÃO MÉXICO NSGUADALUPE PECADO PEDOFILIA PadreChrystian RELIGIOSOS RENOVAÇÃO SUDÁRIO SãoFreiGalvão TABAGISMO TERRASANTA VIOLÊNCIA BEATIFICAÇÃO ACONSELHAMENTO ADORAÇÃO ANTICRISTO APAEs APOSTAS APOSTASIA ARMÊNIA AUTOCURA AVAAZ BATIZADOS BEAGÁ BIOGRAFIAS CHILE CHINA CIRCO COLÔMBIA CONSAGRAÇÃO CONVERSÃO CÍRCULOS DEBATE DEMOGRAFIA EMPRESAS ESPANHA EUROPA EVANGELISMO Especial FOZDOIGUAÇU FREIBETTO FREIDAMIÃO FRUTAS FÁTIMA GOIÂNIA GREVE GruposBíblicos IDEIAS IMPEACHMENT JESUITAS JOINVILLE LITURGIA LOURDES MARANHÃO MATOGROSSO MISERICÓRDIA MSM NÔMADES OAnônimo ONGs P.CARCERÁRIA PADROEIRA PATERNIDADE PAULOFREIRE PERFIL PERNAMBUCO PETRÓPOLIS PHN PIAUÍ POLIGAMIA PORNOGRAFIA PPI PROFISSÕES PROMESSAS PROSPERIDADE Pe.FÁBIOdeMELO Pe.PauloRicardo Prof.MARINS REDEGLOBO RELÍQUIAS RONDÔNIA RUSSIA SACRILÉGIO SANTACATARINA SANTAMISSA SANTAPAULINA SANTOANDRÉ SEGURANÇA SOBRIEDADE SOROCABA SÍNODO Século21 TAUBATÉ TECNOLOGIA TERCEIROSETOR TURQUIA UNESCO VIDANIMAL ZUMBI

Jejuar e abster-se de carne é um dever cristão?


    A abstinência e o jejum são formas de penitência interior. O Catecismo da Igreja Católica define penitência interior como sendo: "Uma reorientação radical de toda a vida, um retorno, uma conversão para Deus de todo nosso coração, uma ruptura com o pecado, uma aversão ao mal e repugnância às mãs obras que cometemos. Ao mesmo tempo, é o desejo e a resolução de mudar de vida com a esperança da misericórdia divina e a confiança na ajuda de sua graça. Esta conversão do coração vem acompanhada de uma dor e de uma tristeza salutares chamadas pelos Padres de 'animi cruciatus' (aflição do espírito, "compunctio cordis" (arrependimento do coração)." (CIC 1431)


    Por aí percebe-se a importância da penitência interior que, dentre suas várias formas, inclui as citadas. Para mensurar mais precisamente a sua relevância, o jejum e abstinência de carne são o tema do Quarto Mandamento da Lei da Igreja: "Jejuar e abster-se de carne, conforme manda a Santa Mãe Igreja" e, então, o que manda a Igreja? É o Código de Direito Canônico quem dá as orientações:

    Cân. 1249 Todos os fiéis, cada qual a seu modo, estão obrigados por lei divina a fazer penitência; mas, para que todos estejam unidos mediante certa observância comum da penitência, são prescritos dias penitenciais, em que os fiéis se dediquem de modo especial à oração, façam obras de piedade e caridade, renunciem a si mesmos, cumprindo ainda mais fielmente as próprias obrigações e observando principalmente o jejum e a abstinência, de acordo com os cânones seguintes.

Cân. 1250 Os dias e tempos penitenciais, em toda a Igreja, são todas as sextas- feiras do ano e o tempo da quaresma.

Cân. 1251 Observe-se a abstinência de carne ou de outro alimento, segundo as prescrições da Conferência dos Bispos, em todas as sextas-feiras do ano, a não ser que coincidam com algum dia enumerado entre as solenidades; observem-se a abstinência e o jejum na quarta-feira de Cinzas e na sexta-feira da paixão e Morte de Nosso Senhor Jesus Cristo.

Cân. 1252 Estão obrigados à lei da abstinência aqueles que tiverem completado catorze anos de idade; estão obrigados à lei do jejum todos os maiores de idade até os sessenta anos começados. Todavia, os pastores de almas e os pais cuidem que sejam formados para o genuíno sentido da penitência também os que não estão obrigados a lei do jejum e da abstinência, em razão da pouca idade.

Cân. 1253 A Conferência dos Bispos pode determinar mais exatamente a observância do jejum e da abstinência, como também substituí-la, totalmente ou em parte, por outras formas de penitência, principalmente por obras de caridade e exercícios de piedade."

    Com referência ao cânon 1251, a CNBB afirma que o fiel católico brasileiro pode substituir a abstinência de carne por uma obra de caridade, um ato de piedade ou comutar a carne por um outro alimento.

    O cânon é bem claro ao afirmar que todos são obrigados a jejuar, pois compreende a idade de 18 a 60 anos. Porém, desde os catorze anos os adolescentes já podem fazer algum tipo de abstinência.

    Portanto, o quarto mandamento da Lei da Igreja está plenamente em vigor, a maioria dos católicos é obrigada a cumprir esse preceito, que não deve ser encarado como uma imposição, um sacrífico, mas sim, como meio de seguro de responder a apelo de Jesus à conversão do coração.

0 comentários:

SUPLEMENTO

Edição 47