LEIA A BÍBLIA

ORATÓRIO

ORATÓRIO
Acenda uma vela

SIGA-NOS

twitter

MARCADORES

RIODEJANEIRO SANTOS NOTÍCIAS VATICANO ARTIGOS LONDRINA VICENTINOS FAMÍLIA JMJ MEMÓRIA BEATIFICAÇÃO HOMILIAS ECUMENISMO Formação POLÍTICA SAÚDE MÚSICOS CNBB ECONOMIA Pe.REGINALDO CINEMA CAMPANHAS EUA ESPIRITUALIDADE MINASGERAIS PASTORAIS SÃOPAULO ABORTO CANÇÃONOVA LIVROS ORAÇÕES CURITIBA JUVENTUDE MARINGÁ MISSÕES POLÍCIA PORTUGAL EXORCISMO COMUNICAÇÃO MULHER Testemunho Entrevista INTERNACIONAL JUNDIAÍ VOCAÇÕES MUDABRASIL FUTEBOL MENSAGENS Pe.ZEZINHO UNIVERSITÁRIOS DireitosHumanos EUCARISTIA APOLOGÉTICA DENÚNCIA TEOLOGIA HUMOR INTERNET MILAGRES BÍBLIA ECOLOGIA CANONIZAÇÃO NAMORO APARECIDA CASAMENTOS EDUCAÇÃO MOVIMENTOS PASTCRIANÇA ANCHIETA CIMI CIÊNCIA CORRUPÇÃO ESPORTE POESIAS Rio+20 SALVADOR SANTAMARIA TURISMO VATICANOII APOSENTADOS CRIANÇAS EVANGELIZAÇÃO FINADOS INFANTIL IRMÃDULCE PALOTINOS ADVOCACIA AGRICULTURA CARNAVAL PORTOALEGRE PSICOLOGIA TEATRO AMAZONAS BENFEITORES BRASÍLIA COMEMORAÇÕES COMUNICADOS CRÔNICAS DEMOCRACIA DIREITOS DOCUMENTÁRIO FOCOLARES FORTALEZA MEIOAMBIENTE MUTICOM PARANAGUÁ POBREZA PUBLICIDADE QUARESMA SEXUALIDADE XAVERIANOS ÁFRICA ÁGUAS ANÔNIMOS APUCARANA CAMPINAS CONFISSÃO CristoRedentor CÁRITAS DEFICIENTES DEPRESSÃO FLORIANÓPOLIS FOTODIGITAL INGLATERRA OpusDei PARAGUAI SANTOANTÔNIO SANTUÁRIOS TERRORISMO ANIVERSÁRIO APARIÇÕES ARGENTINA CEBs CIDADANIA CLARETIANOS IDOSOS ISLAMISMO JERUSALÉM JOÃOPAULOII JUSTIÇA LITERATURA MANAUS PARANÁ PARÓQUIAS PAULINAS PENSAMENTOS REDEVIDA RESSURREIÇÃO SOLIDARIEDADE UMUARAMA UNIDADE  NOTÍCIAS ADOÇÃO ATEÍSMO AUTOESTIMA BAIXOCLERO CANTORES CATEQUESE COOPERATIVISMO CORPUSCHRISTI CÉLULAS DOCUMENTOS DOUTRINASOCIAL ESCÂNDALO ESTATÍSTICA FILOSOFIA GASTRONOMIA GotasBíblicas HOMENAGENS MARISTAS MEDITAÇÃO MESTERS MIGRANTES MOTIVAÇÃO MÉXICO NSGUADALUPE PECADO PEDOFILIA PadreChrystian RELIGIOSOS RENOVAÇÃO SUDÁRIO SãoFreiGalvão TABAGISMO TERRASANTA VIOLÊNCIA BEATIFICAÇÃO ACONSELHAMENTO ADORAÇÃO ANTICRISTO APAEs APOSTAS APOSTASIA ARMÊNIA AUTOCURA AVAAZ BATIZADOS BEAGÁ BIOGRAFIAS CHILE CHINA CIRCO COLÔMBIA CONSAGRAÇÃO CONVERSÃO CÍRCULOS DEBATE DEMOGRAFIA EMPRESAS ESPANHA EUROPA EVANGELISMO Especial FOZDOIGUAÇU FREIBETTO FREIDAMIÃO FRUTAS FÁTIMA GOIÂNIA GREVE GruposBíblicos IDEIAS IMPEACHMENT JESUITAS JOINVILLE LITURGIA LOURDES MARANHÃO MATOGROSSO MISERICÓRDIA MSM NÔMADES OAnônimo ONGs P.CARCERÁRIA PADROEIRA PATERNIDADE PAULOFREIRE PERFIL PERNAMBUCO PETRÓPOLIS PHN PIAUÍ POLIGAMIA PORNOGRAFIA PPI PROFISSÕES PROMESSAS PROSPERIDADE Pe.FÁBIOdeMELO Pe.PauloRicardo Prof.MARINS REDEGLOBO RELÍQUIAS RONDÔNIA RUSSIA SACRILÉGIO SANTACATARINA SANTAMISSA SANTAPAULINA SANTOANDRÉ SEGURANÇA SOBRIEDADE SOROCABA SÍNODO Século21 TAUBATÉ TECNOLOGIA TERCEIROSETOR TURQUIA UNESCO VIDANIMAL ZUMBI

Homenagem de Caetano Veloso ao Dia da Terra


Leia o artigo de João Carlos José Martinelli:
    O Dia da Terra, celebrado a 22 de abril, reveste-se de grande importância diante das inúmeras questões ambientais que suscita, relevantes à sobrevivência da espécie humana. A solenidade surgiu nos Estados Unidos, sendo hoje exaltada na maioria dos países. Constitui-se numa homenagem ao lugar em que vivemos e ao mesmo tempo, oportunidade para fazermos uma reflexão sobre os diversos problemas que o homem está criando, como a poluição ambiental, o desmatamento e outras agressões ao meio-ambiente.

   O Dia da Terra é celebrado a 22 de abril desde 1970 quando o senador democrata Gaylord Nelson, representante do Estado de Wisconsin, no norte dos Estados Unidos, chamou a atenção para a necessidade de ações a favor do meio ambiente. Com o tempo, outros países passaram a comemorar a data, inclusive o Brasil. No entanto, esse chamado em defesa do planeta, embora tenha repercutido em todo o mundo, não trouxe os resultados práticos esperados.

    Com efeito, inúmeros interesses econômicos interferem no equacionamento dos problemas, adiando políticas eficazes para a restauração ambiental de forma sustentável – entendida como a maneira mais adequada de compatibilizar desenvolvimento e o respeito incondicional à natureza como “habitat” compartilhado. Nessa trilha, tenta-se criar, a todo custo, a falsa idéia de que meio ambiente é entrave ao desenvolvimento, quando, na verdade, é sua condição.

    Uma gravíssima advertência de Lévi-Strauss - “O MUNDO COMEÇOU E ACABARÁ SEM O HOMEM”- serve como um grande alerta para o desastre na área decorrente das lógicas da globalização e do consumo. Invoquemos aqui o economista Gilberto Dupas, coordenador-geral do Grupo de Conjuntura Internacional da USP:- “Há, pois, fortes evidências de que a civilização está em xeque. Urge aos governos e às instituições internacionais tomarem medidas preventivas drásticas imediatas em nome dos óbvios interesses dos nossos descendentes. Mas, como fazê-lo, se o modelo de acumulação que rege o capitalismo global exige contínuo aumento de consumo e sucateamento de produtos, acelerando brutalmente o uso de recursos naturais escassos? O dilema é ao mesmo tempo simples e brutal: ou somamos o modelo ou envenenamos o planeta, sacrificando de vez a vida humana saudável sobre a terra” ( Folha de São Paulo-30/01/2007- A- 3).

    Efetivamente, não temos o direito de destruir – por ignorância nossa, por incompetência técnica ou por pura ganância – os recursos naturais e o meio ambiente que são patrimônio das futuras gerações. Assim, cultivar o debate sobre o tema e criar comprometimento com as soluções a serem adotadas é o caminho para que a questão seja encarada com seriedade e como aspecto inerente à própria sobrevivência da espécie.

    E mesmo que haja excepcionalmente alguns excessos dos preservacionistas, a luta em defesa da natureza é uma causa das pessoas em geral a merecer apoio de toda a comunidade, que deve ser motivada a partir da educação infantil nos lares e nas escolas. O artigo 225 do Capítulo VI da Constituição Federal do Brasil, determina que é direito dos cidadãos um ambiente ecologicamente equilibrado. Assim, é dever do Poder Público e de toda a coletividade, o cuidado, a defesa, a preservação e o respeito à ecologia, reavaliando-se constantemente hábitos e costumes que alterem e prejudiquem o ecossistema.

    Por outro lado, a Terra é o terceiro planeta do Sistema Solar, tendo uma distância média de cento e cinqüenta milhões de quilômetros do Sol, a estrela mais próxima. Sua massa está estimada em cinco sextilhões e oitocentos e oitenta e três quintilhões de toneladas. Sua área total é de 510.100.000 quilômetros quadrados, dos quais 148.940.000 são ocupados por terra, o restante, por água. Toda a superfície está dividida em várias nações com povos de costumes e línguas diferentes, as quais infelizmente, além dos problemas ambientais, vivem marcadas por guerras étnicas, religiosas, raciais e por profundas manifestações de desigualdades sociais. A sociedade concreta em que vivemos, está marcada pelas desigualdades, pelo egoísmo e pelas injustiças.

    As comunidades estão cada vez mais individualistas e o consumo parece ditar todas as normas, gerando a omissão daqueles que não são financeiramente úteis. O materialismo absoluto determina o êxito das pessoas e a mídia quase sempre destaca os mais ricos e poderosos, incentivando o crescimento exclusivo da área econômica. Por isso, mais do que nunca também é preciso despertar a consciência da humanidade para uma melhoria nas condições de vida, destacando o espírito de paz e fraternidade que deveria prevalecer entre os todos seres do mundo.

Caetano Veloso e sua homenagem à Terra
    Para comemorar o “Dia da Terra”, invocamos um poema do cantor e compositor CAETANO VELOSO, que concebeu uma verdadeira declaração de amor ao ao nosso planeta: “Quando eu me encontrava na cela de uma cadeia foi que vi pela primeira vez as tais fotografias em que apareces inteira. Porém lá não estavas nua e sim coberta de nuvens. Terra, Terra por mais distante o errante navegante quem jamais te esqueceria./ Ninguém supõe a morena dentro da estrela azulada na vertigem do cinema manda um abraço pra ti, pequenina como se eu fosse a Paraíba Terra, Terra.../Eu estou apaixonado por uma menina Terra, signo de elemento Terra, do mar se diz Terra à vista. Terra, para o pé firmeza. Terra para a mão carícia. Outros astros lhes são guia. /Terra...Eu sou um leão de fogo.

    Sem ti me consumiria a mim mesmo eternamente e de nada valeria acontecer de eu ser gente e gente é outra alegria diferente das estrelas. Terra... De onde nem tempo nem espaço que a força mande coragem pra gente te dar carinho durante toda a viagem que realizar no nada através do qual carregas o nome da tua carne./ Terra... Nas sacadas dos sobrados da velha São Salvador. Há lembranças de donzelas. Do tempo do imperador tudo, tudo na Bahia. Faz a gente querer bem. A Bahia tem um jeito Terra...”.

João Carlos José Martinelli, advogado, jornalista, escritor e professor universitário (martinelliadv@hotmail.com).

0 comentários:

SUPLEMENTO

Edição 47