LEIA A BÍBLIA

ORATÓRIO

ORATÓRIO
Acenda uma vela

SIGA-NOS

twitter

MARCADORES

RIODEJANEIRO SANTOS NOTÍCIAS VATICANO ARTIGOS LONDRINA VICENTINOS FAMÍLIA JMJ MEMÓRIA BEATIFICAÇÃO HOMILIAS ECUMENISMO Formação POLÍTICA SAÚDE MÚSICOS CNBB ECONOMIA Pe.REGINALDO CINEMA CAMPANHAS EUA ESPIRITUALIDADE MINASGERAIS PASTORAIS SÃOPAULO ABORTO CANÇÃONOVA LIVROS ORAÇÕES CURITIBA JUVENTUDE MARINGÁ MISSÕES POLÍCIA EXORCISMO PORTUGAL COMUNICAÇÃO MULHER Testemunho Entrevista INTERNACIONAL JUNDIAÍ VOCAÇÕES MUDABRASIL FUTEBOL MENSAGENS Pe.ZEZINHO UNIVERSITÁRIOS DireitosHumanos EUCARISTIA APOLOGÉTICA DENÚNCIA TEOLOGIA HUMOR INTERNET MILAGRES BÍBLIA ECOLOGIA CANONIZAÇÃO CASAMENTOS NAMORO APARECIDA EDUCAÇÃO MOVIMENTOS PASTCRIANÇA ANCHIETA CIMI CIÊNCIA CORRUPÇÃO ESPORTE Rio+20 SALVADOR SANTAMARIA TURISMO VATICANOII APOSENTADOS CRIANÇAS FINADOS INFANTIL IRMÃDULCE PALOTINOS POESIAS ADVOCACIA AGRICULTURA CARNAVAL EVANGELIZAÇÃO PORTOALEGRE PSICOLOGIA TEATRO AMAZONAS BENFEITORES BRASÍLIA COMEMORAÇÕES CRÔNICAS DEMOCRACIA DIREITOS DOCUMENTÁRIO FOCOLARES FORTALEZA MEIOAMBIENTE MUTICOM PARANAGUÁ PUBLICIDADE QUARESMA SEXUALIDADE XAVERIANOS ÁFRICA ÁGUAS ANÔNIMOS APUCARANA CAMPINAS COMUNICADOS CONFISSÃO CristoRedentor CÁRITAS DEFICIENTES DEPRESSÃO FLORIANÓPOLIS FOTODIGITAL INGLATERRA OpusDei PARAGUAI POBREZA SANTOANTÔNIO TERRORISMO ANIVERSÁRIO APARIÇÕES ARGENTINA CEBs CIDADANIA CLARETIANOS IDOSOS ISLAMISMO JERUSALÉM JOÃOPAULOII JUSTIÇA LITERATURA MANAUS PARANÁ PARÓQUIAS PAULINAS PENSAMENTOS REDEVIDA RESSURREIÇÃO SANTUÁRIOS SOLIDARIEDADE UMUARAMA  NOTÍCIAS ADOÇÃO ATEÍSMO AUTOESTIMA BAIXOCLERO CANTORES CATEQUESE COOPERATIVISMO CORPUSCHRISTI CÉLULAS DOCUMENTOS DOUTRINASOCIAL ESCÂNDALO ESTATÍSTICA FILOSOFIA GASTRONOMIA GotasBíblicas MARISTAS MEDITAÇÃO MESTERS MIGRANTES MOTIVAÇÃO MÉXICO NSGUADALUPE PECADO PEDOFILIA PadreChrystian RELIGIOSOS RENOVAÇÃO SUDÁRIO SãoFreiGalvão TABAGISMO TERRASANTA UNIDADE VIOLÊNCIA BEATIFICAÇÃO ACONSELHAMENTO ADORAÇÃO ANTICRISTO APAEs APOSTAS APOSTASIA ARMÊNIA AUTOCURA AVAAZ BATIZADOS BEAGÁ BIOGRAFIAS CHILE CHINA CIRCO CONSAGRAÇÃO CONVERSÃO CÍRCULOS DEBATE DEMOGRAFIA EMPRESAS ESPANHA EUROPA EVANGELISMO Especial FOZDOIGUAÇU FREIBETTO FREIDAMIÃO FRUTAS FÁTIMA GOIÂNIA GREVE GruposBíblicos HOMENAGENS IDEIAS IMPEACHMENT JESUITAS JOINVILLE LITURGIA LOURDES MARANHÃO MATOGROSSO MISERICÓRDIA MSM NÔMADES OAnônimo ONGs P.CARCERÁRIA PADROEIRA PATERNIDADE PAULOFREIRE PERFIL PERNAMBUCO PETRÓPOLIS PHN PIAUÍ POLIGAMIA PORNOGRAFIA PPI PROFISSÕES PROMESSAS PROSPERIDADE Pe.FÁBIOdeMELO Pe.PauloRicardo Prof.MARINS REDEGLOBO RELÍQUIAS RONDÔNIA RUSSIA SACRILÉGIO SANTACATARINA SANTAMISSA SANTAPAULINA SANTOANDRÉ SEGURANÇA SOBRIEDADE SOROCABA SÍNODO Século21 TAUBATÉ TECNOLOGIA TERCEIROSETOR TURQUIA UNESCO VIDANIMAL ZUMBI

A importância da Santíssima Trindade e dos Grupos Bíblicos de Reflexão


Leia o artigo de Dom Orlando Brandes:
    Dizer Trindade é dizer comunidade, família, equipe, grupo. Ser imagem da Santíssima Trindade é ser Igreja comunidade de comunidades, Igreja Grupo Bíblico de Reflexão, Igreja Cebs, Igreja nas casas, portanto, Igreja doméstica. A Trindade Santa é a melhor comunidade. Assim a Igreja-Comunidade, é o melhor louvor à Trindade Santa. Formamos comunidades em honra e louvor à Santíssima Trindade.

    O homem é um animal social e familiar. Não lhe é estranho viver em comunidade, a exemplo das Pessoas Divinas. O cristianismo tem a marca registrada da Trindade que é a comunhão e participação. Ser comunidade, ser grupo, ser família, ser equipe é um jeito trinitário de viver.

    A experiência de comunidades eclesiais acontece de modo especial na África, na Ásia e na America Latina. Diz o Arcebispo de Bombaim: “A Igreja na Ásia escolheu o método das comunidades como novo modo de ser Igreja. Isso foi um sucesso. Os leigos são mais conscientizados, a formação dos fiéis é permanente, o contato com a Palavra é constante, a ação caritativa aumentou, o ardor missionário cresceu”.

    Realmente, os Grupos Bíblicos de Reflexão, as Comunidades Eclesiais de Base, as Pequenas Comunidades dão às pessoas oportunidade de mais comunicação, de novas amizades, de entreajuda fraterna, de consciência eclesial, de amadurecimento da fé e aumento da ação caritativa, transformadora e missionária. É preciso crê e investir neste jeito de ser Igreja.

    Com os Grupos Bíblicos de Reflexão supera-se o anonimato, a indiferença, o individualismo, a apatia religiosa. Nestes grupos acontece a oração, a reflexão, a ação e a confraternização. Os Grupos são verdadeira catequese permanente, fato que ajuda as pessoas a se doarem e assumirem, tarefas e ministérios na Igreja e serem missionárias. Os grupos são sangue novo na paróquia. Quem tem visão e espiritualidade trinitária, acredita e participa dos Grupos Bíblicos de Reflexão.

    Nós estamos em preparação do 14º Intereclesial das Cebs que se realizará em janeiro de 2018. Precisamos crescer na dimensão comunitária, profética, missionária e social da fé. As Comunidades Eclesiais de Base, os Grupos Bíblicos de Reflexão, as Pequenas Comunidades são experiências que nos levam a superar a sacramentalização e o devocionismo tão arraigados em nós. Jesus, ao formar o grupo dos Doze Apóstolos, colocou o alicerce da Igreja-Comunidade. Na Igreja Primitiva surgiram as pequenas comunidades. O método de evangelização de Paulo Apóstolo foi a criação de comunidades nas casas. Não faltam fundamentações bíblicas, eclesiais e pastorais a respeito da Igreja comunidade de comunidades.

    Seria bom gravar em nossas mentes e corações que Grupo de Reflexão é lugar de evangelização, é escola de comunhão, é prática de transformação, é chance de conscientização, é experiência de comunhão, é incentivo para a missão. O mesmo acontece com outras formas e experiências comunitárias.

    Temos Grupos Bíblicos de Reflexão nas periferias, nos edifícios, nos condomínios. As pessoas se encontram, dialogam, rezam, planejam ações solidárias e dão belíssimos testemunhos da ajuda ao próximo. Os grupos facilitam a setorização da paróquia, o entrosamento com os vizinhos, o conhecimento da fé, o engajamento na comunidade.

    Temos, porém, um longo caminho a percorrer porque somos ensinados a ser cristomonistas, pentecostalistas, mariocêntricos, devotos dos santos, mas, esquecemos a Santíssima Trindade, como também as consequências e frutos de uma espiritualidade trinitária. Ser adorador da Trindade Santa implica em ter espírito comunitário, participar nas pequenas comunidades e grupos e ser Igreja comunidade de comunidades.

    A fé na Santíssima Trindade tem incidência social. Onde há espiritualidade trinitária, não há lugar para a ditadura, a centralização, o individualismo. Em nome da Santíssima Trindade lutamos em favor da democracia, da família, da fraternidade, da inclusão, da globalização da solidariedade e da comunidade internacional. Viva a Santíssima Trindade e os Grupos Bíblicos de Reflexão.

+ Dom Orlando Brandes
Arcebispo da Arquidiocese de Londrina

0 comentários:

SUPLEMENTO

Edição 47