LEIA A BÍBLIA

ORATÓRIO

ORATÓRIO
Acenda uma vela

SIGA-NOS

twitter

MARCADORES

RIODEJANEIRO SANTOS NOTÍCIAS VATICANO ARTIGOS LONDRINA VICENTINOS FAMÍLIA JMJ MEMÓRIA BEATIFICAÇÃO HOMILIAS ECUMENISMO Formação POLÍTICA SAÚDE MÚSICOS CNBB ECONOMIA Pe.REGINALDO CINEMA CAMPANHAS EUA ESPIRITUALIDADE MINASGERAIS PASTORAIS SÃOPAULO ABORTO CANÇÃONOVA LIVROS ORAÇÕES CURITIBA JUVENTUDE MARINGÁ MISSÕES POLÍCIA EXORCISMO PORTUGAL COMUNICAÇÃO MULHER Testemunho Entrevista INTERNACIONAL JUNDIAÍ VOCAÇÕES MUDABRASIL FUTEBOL MENSAGENS Pe.ZEZINHO UNIVERSITÁRIOS DireitosHumanos EUCARISTIA APOLOGÉTICA DENÚNCIA TEOLOGIA HUMOR INTERNET MILAGRES BÍBLIA ECOLOGIA CANONIZAÇÃO CASAMENTOS NAMORO APARECIDA EDUCAÇÃO MOVIMENTOS PASTCRIANÇA ANCHIETA CIMI CIÊNCIA CORRUPÇÃO ESPORTE Rio+20 SALVADOR SANTAMARIA TURISMO VATICANOII APOSENTADOS CRIANÇAS FINADOS INFANTIL IRMÃDULCE PALOTINOS POESIAS ADVOCACIA AGRICULTURA CARNAVAL EVANGELIZAÇÃO PORTOALEGRE PSICOLOGIA TEATRO AMAZONAS BENFEITORES BRASÍLIA COMEMORAÇÕES CRÔNICAS DEMOCRACIA DIREITOS DOCUMENTÁRIO FOCOLARES FORTALEZA MEIOAMBIENTE MUTICOM PARANAGUÁ PUBLICIDADE QUARESMA SEXUALIDADE XAVERIANOS ÁFRICA ÁGUAS ANÔNIMOS APUCARANA CAMPINAS COMUNICADOS CONFISSÃO CristoRedentor CÁRITAS DEFICIENTES DEPRESSÃO FLORIANÓPOLIS FOTODIGITAL INGLATERRA OpusDei PARAGUAI POBREZA SANTOANTÔNIO TERRORISMO ANIVERSÁRIO APARIÇÕES ARGENTINA CEBs CIDADANIA CLARETIANOS IDOSOS ISLAMISMO JERUSALÉM JOÃOPAULOII JUSTIÇA LITERATURA MANAUS PARANÁ PARÓQUIAS PAULINAS PENSAMENTOS REDEVIDA RESSURREIÇÃO SANTUÁRIOS SOLIDARIEDADE UMUARAMA  NOTÍCIAS ADOÇÃO ATEÍSMO AUTOESTIMA BAIXOCLERO CANTORES CATEQUESE COOPERATIVISMO CORPUSCHRISTI CÉLULAS DOCUMENTOS DOUTRINASOCIAL ESCÂNDALO ESTATÍSTICA FILOSOFIA GASTRONOMIA GotasBíblicas MARISTAS MEDITAÇÃO MESTERS MIGRANTES MOTIVAÇÃO MÉXICO NSGUADALUPE PECADO PEDOFILIA PadreChrystian RELIGIOSOS RENOVAÇÃO SUDÁRIO SãoFreiGalvão TABAGISMO TERRASANTA UNIDADE VIOLÊNCIA BEATIFICAÇÃO ACONSELHAMENTO ADORAÇÃO ANTICRISTO APAEs APOSTAS APOSTASIA ARMÊNIA AUTOCURA AVAAZ BATIZADOS BEAGÁ BIOGRAFIAS CHILE CHINA CIRCO CONSAGRAÇÃO CONVERSÃO CÍRCULOS DEBATE DEMOGRAFIA EMPRESAS ESPANHA EUROPA EVANGELISMO Especial FOZDOIGUAÇU FREIBETTO FREIDAMIÃO FRUTAS FÁTIMA GOIÂNIA GREVE GruposBíblicos HOMENAGENS IDEIAS IMPEACHMENT JESUITAS JOINVILLE LITURGIA LOURDES MARANHÃO MATOGROSSO MISERICÓRDIA MSM NÔMADES OAnônimo ONGs P.CARCERÁRIA PADROEIRA PATERNIDADE PAULOFREIRE PERFIL PERNAMBUCO PETRÓPOLIS PHN PIAUÍ POLIGAMIA PORNOGRAFIA PPI PROFISSÕES PROMESSAS PROSPERIDADE Pe.FÁBIOdeMELO Pe.PauloRicardo Prof.MARINS REDEGLOBO RELÍQUIAS RONDÔNIA RUSSIA SACRILÉGIO SANTACATARINA SANTAMISSA SANTAPAULINA SANTOANDRÉ SEGURANÇA SOBRIEDADE SOROCABA SÍNODO Século21 TAUBATÉ TECNOLOGIA TERCEIROSETOR TURQUIA UNESCO VIDANIMAL ZUMBI

Homenagem ao ex-presidente Mário Soares, defensor da democracia em Portugal


    Lisboa, Correio da Manhã - O antigo Presidente da República Mário Soares morreu neste sábado no Hospital da Cruz Vermelha. Soares foi internado no dia 13 de dezembro e estava, desde o Natal, na unidade de cuidados intensivos, depois de ter entrado num estado de coma profundo. Antes, chegou a registrar "ligeiras melhorias" do estado de saúde, mas o antigo Presidente da República perdeu a consciência depois do Natal e não recuperou. O Governo decretou três dias de luto nacional.


Pai da democracia
    Oposicionista, preso político, deportado, exilado, revolucionário, deputado, primeiro-ministro, Presidente. Ao longo de 92 anos de vida, Mário Alberto Nobre Lopes Soares foi tudo isto e muito mais.

   Considerado por muitos o ‘pai da democracia’, rótulo que sempre recusou, alimentou ao longo da vida intensos ódios e paixões. Poucos lhe eram indiferentes. Nascido em 1924, Soares cresceu no seio de uma família letrada e endinheirada. O pai, João, antigo padre e político da I República, fundou em Lisboa o Colégio Moderno e foi um reputado oposicionista de Salazar. A mãe, Elisa Nobre Baptista, era dona de uma pensão na Baixa Lisboeta.

    Soares cresceu a ouvir o pai discutir política com os amigos e cedo se tornou, ele próprio, um estudante contestatário. Já com ficha na PIDE, casou-se na prisão com a promissora atriz Maria de Jesus Barroso, cuja carreira foi interrompida pela proibição de atuar em teatros do Estado - o que na altura era tudo para um artista. Juntos tiveram os filhos Isabel - hoje diretora do colégio da família e João Soares, político com uma vasta experiência ao serviço do Partido Socialista.

Exílio
    Mário Soares esteve  preso mais de uma dezena de vezes antes do 25 de Abril. Deportado, a dada altura para São Tomé, a revolução apanhou-o no exílio, entre França e a Alemanha, onde tinha fundado o Partido Socialista, em 1973. Ministro dos Negócios Estrangeiros dos três primeiros governos provisórios, teve um papel vital no processo da independência e descolonização das províncias ultramarinas portuguesas. Soares foi por três vezes primeiro-ministro, sempre em governos minoritários. Em 1986, foi eleito Presidente da República, batendo Freitas do Amaral na mais renhida corrida presidencial de que há memória. Em Belém, foi um presidente popular, tendo capitalizado esse estatuto para minar os governos de maioria absoluta de Cavaco Silva, com quem sempre cultivou uma intensa inimizade, que era recíproca.

    Depois de dois mandatos em Belém, Soares ainda foi eleito, em 1999, deputado europeu. Esteve cinco anos em Bruxelas, naquele que seria o seu último cargo político. Ainda tentou regressar a Belém em 2006, mas, apesar do apoio oficial do PS de José Sócrates, viu Cavaco Silva ganhar à primeira volta, com o seu amigo Manuel Alegre a ultrapassá-lo no segundo lugar por larga margem.


Escritor
    Soares deixa uma vasta obra literária, com cerca de 80 livros escritos, quase todos dedicados à causa a que se dedicou a vida toda: a política. Homem de cultura e das artes, privou com as grandes figuras mundiais do seu tempo e era uma das últimas personagens vivas da geração que construiu a União Europeia e assistiu ao fim da Guerra Fria. Em 2013, Soares foi vítima de uma encefalite que o deixou muito debilitado. Recuperou, mas a morte da mulher, Maria de Jesus Barroso, no verão de 2015, seria bem mais difícil de digerir. Desde então, as suas aparições públicas tornaram-se cada vez mais raras.

Luto nacional
    O primeiro-ministro, António Costa, anunciou que o Governo decretou três dias de luto nacional, a partir de segunda-feira, pela morte do antigo Presidente da República Mário Soares e funeral com honras de Estado. O corpo de Mário Soares saiu do Hospital da Cruz Vermelha pelas 18h30. As cerimônias fúnebres iniciam-se na segunda-feira. O corpo do antigo Presidente da República vai estar em câmara ardente no Mosteiro dos Jerônimos a partir das 13 horas. O funeral realiza-se na terça-feira, a partir das 15h30, no Cemitério dos Prazeres, em Lisboa.

Leia mais em: http://www.cmjornal.pt/politica

0 comentários:

SUPLEMENTO

Edição 47