LEIA A BÍBLIA

ORATÓRIO

ORATÓRIO
Acenda uma vela

SIGA-NOS

twitter

MARCADORES

RIODEJANEIRO SANTOS NOTÍCIAS VATICANO ARTIGOS LONDRINA VICENTINOS FAMÍLIA JMJ MEMÓRIA BEATIFICAÇÃO HOMILIAS ECUMENISMO Formação POLÍTICA SAÚDE MÚSICOS CNBB ECONOMIA Pe.REGINALDO CINEMA CAMPANHAS EUA ESPIRITUALIDADE MINASGERAIS PASTORAIS SÃOPAULO ABORTO CANÇÃONOVA LIVROS ORAÇÕES CURITIBA JUVENTUDE MARINGÁ MISSÕES POLÍCIA PORTUGAL EXORCISMO COMUNICAÇÃO MULHER Testemunho Entrevista INTERNACIONAL JUNDIAÍ VOCAÇÕES MUDABRASIL FUTEBOL MENSAGENS Pe.ZEZINHO UNIVERSITÁRIOS DireitosHumanos EUCARISTIA APOLOGÉTICA DENÚNCIA TEOLOGIA HUMOR INTERNET MILAGRES BÍBLIA ECOLOGIA CANONIZAÇÃO CASAMENTOS NAMORO APARECIDA EDUCAÇÃO MOVIMENTOS PASTCRIANÇA ANCHIETA CIMI CIÊNCIA CORRUPÇÃO ESPORTE POESIAS Rio+20 SALVADOR SANTAMARIA TURISMO VATICANOII APOSENTADOS CRIANÇAS FINADOS INFANTIL IRMÃDULCE PALOTINOS ADVOCACIA AGRICULTURA CARNAVAL EVANGELIZAÇÃO PORTOALEGRE PSICOLOGIA TEATRO AMAZONAS BENFEITORES BRASÍLIA COMEMORAÇÕES CRÔNICAS DEMOCRACIA DIREITOS DOCUMENTÁRIO FOCOLARES FORTALEZA MEIOAMBIENTE MUTICOM PARANAGUÁ PUBLICIDADE QUARESMA SEXUALIDADE XAVERIANOS ÁFRICA ÁGUAS ANÔNIMOS APUCARANA CAMPINAS COMUNICADOS CONFISSÃO CristoRedentor CÁRITAS DEFICIENTES DEPRESSÃO FLORIANÓPOLIS FOTODIGITAL INGLATERRA OpusDei PARAGUAI POBREZA SANTOANTÔNIO TERRORISMO ANIVERSÁRIO APARIÇÕES ARGENTINA CEBs CIDADANIA CLARETIANOS IDOSOS ISLAMISMO JERUSALÉM JOÃOPAULOII JUSTIÇA LITERATURA MANAUS PARANÁ PARÓQUIAS PAULINAS PENSAMENTOS REDEVIDA RESSURREIÇÃO SANTUÁRIOS SOLIDARIEDADE UMUARAMA  NOTÍCIAS ADOÇÃO ATEÍSMO AUTOESTIMA BAIXOCLERO CANTORES CATEQUESE COOPERATIVISMO CORPUSCHRISTI CÉLULAS DOCUMENTOS DOUTRINASOCIAL ESCÂNDALO ESTATÍSTICA FILOSOFIA GASTRONOMIA GotasBíblicas MARISTAS MEDITAÇÃO MESTERS MIGRANTES MOTIVAÇÃO MÉXICO NSGUADALUPE PECADO PEDOFILIA PadreChrystian RELIGIOSOS RENOVAÇÃO SUDÁRIO SãoFreiGalvão TABAGISMO TERRASANTA UNIDADE VIOLÊNCIA BEATIFICAÇÃO ACONSELHAMENTO ADORAÇÃO ANTICRISTO APAEs APOSTAS APOSTASIA ARMÊNIA AUTOCURA AVAAZ BATIZADOS BEAGÁ BIOGRAFIAS CHILE CHINA CIRCO COLÔMBIA CONSAGRAÇÃO CONVERSÃO CÍRCULOS DEBATE DEMOGRAFIA EMPRESAS ESPANHA EUROPA EVANGELISMO Especial FOZDOIGUAÇU FREIBETTO FREIDAMIÃO FRUTAS FÁTIMA GOIÂNIA GREVE GruposBíblicos HOMENAGENS IDEIAS IMPEACHMENT JESUITAS JOINVILLE LITURGIA LOURDES MARANHÃO MATOGROSSO MISERICÓRDIA MSM NÔMADES OAnônimo ONGs P.CARCERÁRIA PADROEIRA PATERNIDADE PAULOFREIRE PERFIL PERNAMBUCO PETRÓPOLIS PHN PIAUÍ POLIGAMIA PORNOGRAFIA PPI PROFISSÕES PROMESSAS PROSPERIDADE Pe.FÁBIOdeMELO Pe.PauloRicardo Prof.MARINS REDEGLOBO RELÍQUIAS RONDÔNIA RUSSIA SACRILÉGIO SANTACATARINA SANTAMISSA SANTAPAULINA SANTOANDRÉ SEGURANÇA SOBRIEDADE SOROCABA SÍNODO Século21 TAUBATÉ TECNOLOGIA TERCEIROSETOR TURQUIA UNESCO VIDANIMAL ZUMBI

Os 320 anos da morte do Padre Antônio Vieira, o imperador da Língua Portuguesa


    Brasília, CNBB - Conhecido como o imperador da Língua Portuguesa – título dado pelo poeta e escritor Fernando Pessoa –, Padre Antônio Vieira é um dos personagens mais influentes do século XVII. No dia 18 de julho comemoram-se os 320 anos da sua morte. Nascido em Portugal em 1608, Vieira veio para o Brasil com a família quando tinha 7 anos. Seu pai foi funcionário do império português. Aos 15 anos, ingressou na Companhia de Jesus. Em 1634 já era sacerdote e começou a evangelizar e a escrever seus sermões.


O religioso combateu incansavelmente a exploração dos povos indígenas no Brasil, defendeu a liberdade dos judeus, perseguidos na época pela Inquisição da Igreja Católica e a abolição da escravatura.

Padre Vieira foi um grande e produtivo escritor do barroco em língua portuguesa, filósofo e orador da Companhia de Jesus. Além de deixar mais de 500 cartas e profecias que estão no livro “Chave dos Profetas”, escreveu cerca de 200 sermões. Entre eles o “Sermão da Sexagésima” e “História do Futuro”, livro profético onde previu o aparecimento de um “Quinto Império”, no qual reinaria a paz na vitória da cristandade. A organização dessa obra, que foi lançada pela Universidade de Brasília, é também do padre jesuíta José Carlos Brandi Aleixo.

    Defensor da honestidade e seriedade na vida pública, em 1640, aos 33 anos, padre Vieira voltou a Portugal com uma comissão de apoio ao novo rei Dom João IV, participou ativamente da vida política da época. Homem de confiança do imperador realizou importantes missões diplomáticas pela Europa (1641-1661).

    Consideradas absurdas, suas ideias foram rejeitadas e Vieira retornou ao Brasil e se estabeleceu no Maranhão. Sendo expulso da região por conflito com os poderosos. De volta a Portugal, foi condenado à prisão pela Inquisição por defender posições favoráveis aos índios e aos judeus. “Ele criticava o comportamento de muitos membros da santa Inquisição. Era um homem do diálogo inter-religioso”, disse Aleixo. Condenado, ficou preso por dois anos (1665-1667) em Coimbra sem acesso aos livros e foi impedido de pregar.


Padre jesuíta José Carlos Brandi Aleixo
Foto: divulgação 

    “Vieira foi um grande pregador, um homem que unia conhecimento. Ele teve uma experiência que muitos escritores não tiveram” - destaca padre Aleixo.

    Dois anos depois, em 1669, foi anistiado e seguiu para Roma onde ficou até 1676. Cinco anos depois voltou ao Brasil, onde se dedicou à literatura e organizou seus sermões para publicação. Padre Antonio Vieira morreu aos 89 anos, em 1697, no Colégio que atualmente leva seu nome e é patrono, em Salvador (BA). Sua vocação jesuítica ficou marcada pela sua capacidade na oratória e na escrita em prosa que ele usava como meio de doutrinar e interferir no curso dos acontecimentos sociopolíticos.

    Padre Aleixo finaliza enfatizando que Vieira foi um homem à frente do seu tempo. “Ele defendeu as minorias e condenou o mau uso do poder. Além de lutar contra a corrupção”.

0 comentários:

SUPLEMENTO

Edição 47